Sexta-feira, 13 de Setembro de 2013

 

 

 É pacífico que uma das vertentes para o desenvolvimento integrado da economia do concelho, é a recuperação e divulgação do seu património, como alavanca do sector terciário e complemento do sector primário.

Mas recuperação do património, quer dizer, antes de mais preservação. E preservação é manter com respeito das suas características sem o desvirtuar com inovações que o descaracterizem.

Com o património é preciso o mesmo cuidado que uma operação plástica: se a intervenção desvirtua os traços essenciais do rosto, já não temos o mesmo rosto, mas outro, apesar da pessoa ser a mesma. Dá-se uma modificação da identidade física.

Por isso é que as intervenções sobre o património, e aqui refiro-me em concreto ao edificado, devem obedecer a critério do bom senso, e serem o mais conservadoras que possível, para evitar a sua descaracterização.

Ora, é precisamente o que não se tem verificado em algumas situações, de que apenas destaco as obras da Praça da República, que sendo uma boa iniciativa de homenagem a Manuel António Pina, são um desses exemplos de infeliz concretização do mau senso estético:

A intervenção na área do chafariz da Praça da República, com empedramento totalmente desenquadrado do resto da Praça, é um exemplo de falta de bom senso estético.

Agora acrescentaram-se uns bancos em madeira marítima para os munícipes gozarem a sombra dos medronheiros. Já nem é falta de bom seno; é ridículo! 

De facto, o total calcetamento da zona do chafariz em pedra diferente, não o adequa ao resto da Praça também empedrada em toda a sua extensão, a qual, por não ter qualquer  zona verde, resulta, pela solução dos medronheiros, arbustos de pequeno porte e copa baixa, demasiado aberta, e por isso esteticamente monótona.

Este resultado das obras podia mitigar-se reduzindo o empedramento agora colocado na área do chafariz, substituindo-o, mesmo que seja numa pequeníssima área, por jardim, e colocando no lugar dos medronheiros, árvores que pelo menos proporcionassem sombra e um recanto verde aprazível, realçado do resto da Praça.

É por sua vez conhecida a sensibilidade ecológica de Manuel António Pina e mais reservadas e conhecidas de alguns amigos, as suas ideias filosóficas iniciáticas e simbólicas, que se tivessem sido tidos em conta, proporcionariam elementos interessantes que podiam ter sido utilizados na execução da obra. 

Os custos nem seriam muitos, dignificava-se a praça, homenageava-se mais condignamente o Manuel António Pina de acordo com a sua personalidade.

E o que não é de todo displicente, ainda vai a tempo de ser feito com pouco trabalho e custo, pelos serviços camarários!

Perguntarão os queridos leitores, que sabe este “escriba” de arquitectura paisagística, para “meter a foice em seara alheia”. Nada…

… mas sobra-lhe algum bom senso e bom gosto, que é o que tem faltado na recuperação do património concelhio!

 



publicado por Manuel Maria às 18:25 | link do post | comentar

mais sobre mim
Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

PELO NOSSO IRMÃO MARCOS, ...

Canção do Volfrâmio

Bom Natal a todos!

O Primeiro Lugar da Poesi...

dramátia Aldeia ao abanon...

RAMOS ROSA E O SEGREDO O...

Recuperação do Património...

As viagens Iniciàticas de...

Os Talassas

Saudade Estranha

Tradição e Pragmatismo

Romance da Branca Lua

Cavaco e o canto da Maria

Crónica do Bairro Alto – ...

Uma História do Arco Da V...

Chá de Erva da Jamaica

Cada cabeça sua sentença!

Tribunal Constitucional ...

Até um dia, companheiro!

Meu último quadro

Paul, o dragão

A Terra Dos Cegos

A venda de uma vaca

Os Insensatos

Nostálgia...

O "Assalto" ao Castelo d...

A Conjura dos Animais

Lenda do Cruzeiro de Saca...

Boas festas!

tatoo

arquivos

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

links
Visitas
blogs SAPO
subscrever feeds