Quinta-feira, 25 de Julho de 2013

 

 

Encosto-me toda a ti

enquanto dormes,

na esperança de que

consigas afastar de mim

a noite fria e imensa...

E sinto-me mais quente,

embora trema ainda.

Meu amor, o teu corpo

acordou o Verão na minha pele!

E toda esta saudade

chamada amor

dentro do peito não finda.

Gritas o desejo de mim

e eu Eco, vou planando

reconhecendo, estranhamente

Que o sentimento cresce

sem território tactil,

sem requerimento verbal.

Quero-te, ponto final.

Beijo-te a alma

e volto ao sono sem sonhos

De onde me hás-de resgatar.

 

A.G.



publicado por Manuel Maria às 18:46 | link do post | comentar

  

 

            Recentemente li um artigo num "media" local que dizia: «Nunca tanto se falou neste Concelho, como agora, da sua História, dos seus Homens e Mulheres de cultura, arte e política, das suas tradições, usos e costumes» e que «os habitantes do Concelho [...], juntamente com a Diáspora Concelhia, sentem uma nostalgia e uma melancolia em relação ao passado, em relação à maneira como viveram a sua infância, a sua juventude, e a tudo o que os rodeou». Isto  «São actos de resistência feitos por resistentes, que sabem que uma modernidade equilibrada, sustentável e verdadeiramente Concelhia, nasce de uma reinterpretação da tradição» (António Emídio in "Capeia Arraiana")

            É verdade que a história, a cultura, tradições, usos e costumes, são importantes para a caracterização de um povo. Como dizia Pascoais, é a caracterização das instituições, da alma de um povo, que permite escolher o futuro adequado a esse povo.

            Também é importante o estudo do passado, para potenciar o presente. Como dizia Poincaré, um povo quando quer ganhar forças, vai buscá-las ao seu passado. 

            Mas o passado, apenas pode ser objecto da lembrança. Quando a lembrança é má, o passado esquece-se; quando agradável, pode causar um sentimento de nostalgia e melancolia, que é o desejo desse passado distante e a tristeza por não se poder revivê-lo. Duarte Nunes de Leão, D. Duarte, Garrett e Pascoais, chamaram a este duplo sentimento de Saudade!

            Uma sociedade é como uma árvore, que para se renovar todas as Primaveras vai beber o húmus da terra, através das  raízes. A história e a cultura, são o húmus de uma sociedade.      

            Uma árvore, se não for buscar o húmus à terra, se os ramos mais distantes, por qualquer motivo não forem buscar esse alimento às raízes, ela acaba por morrer. De que servem as raízes e o húmus, se os ramos não se renovam todas as Primaveras?

            O mesmo se passa numa sociedade: O estudo do passado e da cultura, além de mera lembrança, tem de se converter num desejo de repetição no presente, ser uma esperança do presente e antecipação do futuro. Mas se ele não provoca o desejo de projecção no presente, ele não é mais que saudade, recordação melancolia, simples nostalgia, tristeza.

           A Melancolia/Nostalgia, porque vive exclusivamente do passado, não cria esperança, não projecta o passado no presente, não antecipa o futuro, não é nada!

           O tronco, os ramos, as folhas, os frutos de uma árvore, “sentem” a necessidade da seiva para sobreviverem e se renovarem ciclicamente. No estado botânico esta necessidade é o “stress hídrico”, que faz os frutos os ramos e o tronco irem buscar o húmus à terra.

           Numa sociedade, o estado equivalente ao “stress hídrico”, que faz com que a Melancolia/Nostalgia se transforme em esperança no futuro, é a Angústia; uma disposição que a impele a questionar permanentemente as possibilidades de realização, numa acção sobre o seu destino e o tempo futuro. A este sentimento de Angústia, também assim designado por  Heidegger, chamou Kierkegaard “Náusea”:

          «Enterra-se um dedo no solo para cheirar em que terra se está; eu enterro o dedo na existência – ela não cheira a coisa nenhuma. Onde é que eu estou? Que significa dizer: Mundo?» Kierkegaard  in Repetição III pág. 261

          Por isso, não sendo nada, por si só, a Melancolia/Nostalgia, quando origina a perplexidade da Angústia, transforma-se numa energia positiva, porque as perguntas que formula sobre existência, exigem a procura de respostas, possibilidades, caminhos para a vida.

          Quando ela fica no passado, a Melancolia/Nostalgia é um vazio do ser, que leva ao sentimento de Tédio, essa energia negativa que é um não fazer nada, em que a existência não tem sabor, nem sal, nem sentido.

           No Tédio não há possibilidades e as que se dispõem estão mortas.

           A Melancolia/Nostalgia, por si só, como elementos da Saudade, dizem respeito ao passado. E no passado não vão buscar-se energias. As energias estão no presente. Na forma como este interroga ou não o futuro e responde ou não às suas possibilidades, consoante a vida em sociedade é uma permanente Angústia, ou Tédio.

         Como dizia Herculano: «Que são estas coisas de regeneração das tradições, senão sons ocos, que não correspondem a nenhuma ideia?» (Opúculos , III, pp 111-112).

          Serve alguma coisa falar na História, nos Homens e Mulheres de cultura, arte e política, das suas tradições, usos e costumes, num concelho pobre, numa sociedade entediada?

          È o desenvolvimento material da generalidade da população que trás o das virtudes espirituais e democráticas.

          Como dizia António Sérgio: «os alicerces da democracia política são abertos na economia» (Regeneração e Tradição, Moral e Economia,  Carta a Pascoais publicada na Àguia, Vol. V, 2.º série, 1914, pp 1-9)

          Só a Nostalgia/Melancolia e o estudo da História, dos costumes, tradição e política, não chegam…

´        Também é preciso o Pragmatismo de saber agir sobre o presente, escolhendo o caminho  e o sentido deste em relação ao futuro!

          Para que serve uma árvore, se nem sombra dá?

          Para que servem a História, os costumes, a tradição e a política, se não se traduzem em progresso material e espiritual?

          Enfim…

          De que serve uma coisa, se não tem qualquer utilidade?

           

 



publicado por Manuel Maria às 18:25 | link do post | comentar

mais sobre mim
Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

PELO NOSSO IRMÃO MARCOS, ...

Canção do Volfrâmio

Bom Natal a todos!

O Primeiro Lugar da Poesi...

dramátia Aldeia ao abanon...

RAMOS ROSA E O SEGREDO O...

Recuperação do Património...

As viagens Iniciàticas de...

Os Talassas

Saudade Estranha

Tradição e Pragmatismo

Romance da Branca Lua

Cavaco e o canto da Maria

Crónica do Bairro Alto – ...

Uma História do Arco Da V...

Chá de Erva da Jamaica

Cada cabeça sua sentença!

Tribunal Constitucional ...

Até um dia, companheiro!

Meu último quadro

Paul, o dragão

A Terra Dos Cegos

A venda de uma vaca

Os Insensatos

Nostálgia...

O "Assalto" ao Castelo d...

A Conjura dos Animais

Lenda do Cruzeiro de Saca...

Boas festas!

tatoo

arquivos

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

links
Visitas
blogs SAPO
subscrever feeds